Comissão de Acupuntura

Escrito em 20 de abril de 2013 ás 18:45 por

Um pouco da história
Há muitos anos atrás quando havia no Conselho uma dificuldade de correlação técnico científica da Acupuntura com as competências biomédicas e não havia normativas para a formação e atuação do biomédico acupunturista, insistentemente valorizamos a Acupuntura nos inserindo em Congressos, nas Semanas da Biomedicina das Faculdades, e colaboramos com o Jurídico para nos defender das investidas da medicina.
Valeu a perseverança
Fomos convidados a formar a Comissão de Acupuntura, e alinhados com o Conselho entendemos as vertentes de tudo o que envolve o exercício profissional, e a importância de estar regularizado com um órgão regulamentado que possa defender os interesses da competência profis-sional.
O compromisso
de sempre estabelecer pontes de conhecimentos da visão oriental com a ciência biomédica, levou vá-rios colegas biomédicos a alcançarem títulos de mestrado e de doutorado com trabalhos que envolvem a Acupuntura e as competências biomédicas.
Importante
Ilustrar que não são poucos também os biomédicos que estão ensinando Acupuntura Tradicional e Moderna em nível de cursos de graduação em Biomedicina, estimulando a interdisciplinaridade e promovendo a capacidade de interação multiprofissional .
Atualização
Imagina-se que, se o profissional biomédico solicita a inclusão de habilitação em Acupuntura é porque saiba que só assim terá uma legitimação da especialidade e um órgão legal que o apoie. No entanto, temos nos deparado com biomédicos acupunturistas que não atualizaram o discurso de que o “Conselho não faz nada pela classe” e agem como se estivessem carentes de regulamentação. Cada frente dentro do movimento da Acupuntura está buscando se estruturar dentro dos espaços que conseguiu e, o foco que precisamos manter, enquan-to Comissão e ABIOMAC, para continuarmos tendo apoio administrativo e jurídico do Conselho é priorizar o trabalho no sentido de estimular o aprimoramento do biomédico acupunturista.
Exigência
E uma vez que o Conselho é o órgão que legalmente pode nos defender, entendemos que seja prudente atendermos as exigências que nos permite trabalhar os propósitos de gerir as conquistas.
Normativas
A Resolução 201 e 202, para fili-ação de técnicos e tecnólogos aprovada pelo CFBM, nos permi-tiu avaliar profundamente o cenário da Acupuntura no Brasil e estudar as diretrizes da OMS para criarmos as normativas da Resolução de uma forma justa para o nosso papel, e respeitando as conquistas realizadas pelos técnicos. Não existem tecnólogos na área de Acupuntura.
O impacto
Dessas resoluções no cenário nacional dos movimentos da Acupuntura ,não foi bem compreendido, principalmente pela maioria que se intitula técnico em Acupuntura, mas não possuem o diploma de uma escola devidamente reconhecida pelo MEC. Só podemos inscrever aqueles que estiverem devidamente documentados conforme normas legais.
Com transparência
A Comissão de Acupuntura e a ABIOMAC trabalham para que o biomédico acupunturista possa se inserir no mercado eticamente, com segurança, com competência e respeito às demais frentes de luta.

Comissão de  Acupuntura. 19/04/2013

Apoio:ABIOMAC
Associe-se : www.abiomac.org.br

  • Dr. José Roberto Tavares Lima

    Esta matéria deveria estar escrita não tão somente no site da ABIOMAC, mas também no site do CRBM-1 e do CFBM, bem como da Revista do Biomédico. É de suma importância que os biomédicos acupunturistas se inscrevam no Conselho para terem a sua Habilitação realmente confirmada e se unirem à uma Associação de Classe, pois somente unidos poderemos fazer a diferença. Somente unidos teremos como nos reciclar e aperfeiçoar nossos conhecimentos. Grande abraço aos colegas biomédicos acupunturistas.
    Dr. José Roberto Tavares Lima – CRBM 1505-1